Coisas normais dos bebés que enlouquecem os pais… - Aos olhos de Sofia

Coisas normais dos bebés que enlouquecem os pais… - Aos olhos de Sofia
Acredito que faz parte de ser mãe e pai ter dúvidas, nomeadamente dúvidas sobre a saúde e bem-estar do bebé. O sistema social em que vivemos, apesar de melhor do que quando fui mãe pela primeira vez há quase 17 anos, é bastante exigente para as mães e dá pouco apoio nos primeiros anos de vida da criança, temos muita informação e desinformação, muitas formas de comunicar e cada vez maior afastamento entre as pessoas.
Hoje, venho aqui falar levemente de algumas que são as dúvidas dos pais, não é especificamente para pais de primeira viagem, pois basta serem nossos filhos e o cansaço para tudo ser questionável.
Primeira coisa, nos primeiros dias de vida, pode ser ainda na maternidade ou não, surge o que parece sangue na urina do bebé, não se alarmem são uratos, a urina está concentrada, passa com a amamentação ou alimentação artificial.
           
“Nos dois primeiros dias, a urina produzida por um recém-nascido é concentrada e frequentemente contém substâncias químicas chamadas uratos, que podem fazer com que a fralda fique alaranjada ou de cor rosa.”  In Manual MSD saúde para a família.
 
Segunda coisa, a mamite fisiológica, parece um caroço na mama ou mamilo do bebé, pode até haver saída de leite do peito do bebé. Caros pais, é uma situação normal, o seu bebé não está com um cancro e seguramente não precisa de ir à urgência do hospital. A mamite fisiológica acontece devido ao facto de o bebé ainda ter na sua circulação sanguínea hormonas maternas que passaram durante a gestação ou durante a amamentação e tal como, todas as coisas normais de bebés, é possível acontecer tanto em meninos como em meninas e não acontece em todos os bebés. Normalmente, reverte ao fim de 7 a 10 dias naturalmente.
Terceira coisa, a milia ou acne do recém-nascido, aquelas pequenas borbulhas brancas que surgem na face, testa, queixo e até mesmo no peito do bebé, pode gerar até zonas de borbulhas vermelhas e que nós pais achamos que é uma alergia, que o bebé tem apanhado muito frio, que o leite não é bom ou até mesmo que apanhou uma qualquer doença infeciosa. Respirem fundo e relaxem, é apenas a natureza a manifestar-se, tem mais uma vez a ver com hormonas que o bebé recebe da mãe através da placenta, tal como aparece desaparece, não espremam, não esfreguem pois não vai desaparecer mais depressa antes pelo contrário. As “borbulhas” podem surgir entre a terceira e a quarta semana e desaparecem com o passar dos meses, é uma das muitas coisas com a qual se treina a paciência nos filhos, aproveitem nesta idade, ainda é fácil.
Quarta coisa, esta realmente desespera a maioria de nós, porque interfere muito diretamente com o nosso descanso – o sono trocado. É absolutamente normal o bebé dormir muito bem durante o dia e estar mais desperto durante a noite, a razão é simples na barriga eles não têm perceção do dia e noite da mesma forma, inclusivamente durante noite há mais espaço para mexer dentro da barriga, a piscina fica maior, menos tensa… Esta não é daquelas coisas que se altera sozinha sem interferência nossa, podemos ajudar muito, tendo presente que cada bebé é um bebé diferente, mas aqui a criação de rotinas será mesmo fundamental. Primeiro ponto, à noite definir a hora a partir da qual o seu bebé dorme na cama, ter o mesmo ritual antes de o deitar, quanto mais cedo o conseguirem melhor, obviamente não estou a falar de o terem definido e implementado logo na primeira semana, mas irem em casal definindo e percebendo o que funciona. Segundo aspeto, durante o dia dorme com mais luz com o barulho normal de uma casa habitada, até poderá fazer algumas sestas fora da cama e do quarto, mantenham a sesta após “almoço” no quarto, facilita a vida no futuro. Terceiro ponto, o bebé mama a meio da noite, mas o comportamento da mãe/pai durante a alimentação não deverá ser o mesmo que durante o dia. Alimente em silêncio maioritariamente, muda a fralda, coloca a eructar sem brincadeira e coloca para dormir novamente, claro que pode haver mimo, afeto, mas com o menor estímulo possível e feito a meia luz.
           
Quinta coisa, muitos de nós desesperam com bebés que choram muito ao final do dia, pais acreditam que são cólicas (até pode ser), que é mimo, que é manha…. Vamos ver um pouco as coisas do lado do bebé, ele vivia num meio com bastantes filtros de ruído, luz e onde os estímulos internos de fome, sede, sono, evacuação eram supridos sem na realidade chegarem a existir. Depois dá-se o nascimento e aprendem a respirar, alimentar-se, existe todo um novo leque de estímulos sensitivos, auditivos e visuais. É como um dia num trabalho novo do qual nada sabíamos, só que numa base diária, todos os dias há coisas novas, claro que chegam ao final do dia cansados e a única forma que conhecem de o comunicar e pedir ajuda é chorar, berrar e espernear. Por isso, queridos pais nos dias em que existe mais estímulos saibam que no final do dia irão necessitar de uma maior dose de paciência para os tranquilizar e façam-no dando-lhes poucos estímulos, escolham sistemas já conhecidos por eles, música calma que ouviam na gravidez, ruídos brancos (existem apps, barulho aspirador, exaustor, secador cabelo…), pouca luz, pouca conversa e muita calma interior (vossa). Haverá dias mais fáceis que outros, mas na dança do conhecimento mútuo irão encontrar o ritmo de ambos e ajustá-lo à medida que as necessidades de ambos mudam.
           
Sexta coisa, as cólicas, aqueles momentos de choro algumas vezes gritado que acontecem desde os primeiros dias e os acompanham até perto dos 3 meses, são normalmente acompanhadas de contração abdominal, esticar de pernas ou espernear, durante o sono podem resmungar enquanto esticam as pernas. As cólicas devem-se a alguma imaturidade intestinal do bebé, é o intestino a adaptar-se à digestão, sim existem alguns fatores que podem influenciar, como por exemplo o tipo de leite, normalmente o leite adaptado é mais propicio a gerar cólicas, no aleitamento materno exclusivo pode interferir o consumo pela mãe de café e chocolate ou medicação, podem consultar o site www.e-lactancia.org para tirar dúvidas inclusivamente de chás. O que ajuda nas cólicas, evitar a ingestão de ar pelo bebé durante o aleitamento, assegurar que o bebé arrota após a mamada, massagem abdominal e utilizar a técnica dos “5 S” (podem pesquisar no google) também é excelente para o cansaço de final de dia.   
           
Sétima coisa, o choro ou o facto de não o sabermos interpretar o tempo todo, se forem como eu é algo que stressa imenso nos primeiros tempos, pois sinto que estou a ser incompetente de certa forma, cá em casa ajudou imenso repetir internamente que é apenas a forma de comunicar deles, estão apenas a manifestar uma necessidade e com calma ir uma por uma até perceber qual é. Pode ajudar verem vídeos sobre o significado do choro, não exagerem ou podem confundir mais pois cada bebé é um bebé, pode ajudar usar aplicações como a chatterbaby pelo menos nos primeiros dias, para os pais é aprender uma nova língua, procurem dicionários.
Outro conselho, ouçam conselhos, mas não em demasia, confiem em vocês um pouco mais a cada dia, arranjem formas de ter algum tempo para vocês e para terem conversa de adultos, bem como alguém com quem possam abrir-se sobre os desafios que passam como pais e pessoas durante esta fase.
Vamos cada vez mais tornar uma coisa normal e natural do ser humano e animal em algo mais simples e apoiado por todos.
Sofia Abreu

 

 

Partilhar este post...
Tópico anterior Próximo post

Comentarios

Deixe comentário