Blog do Reino dos Pequenitos

Sabia que uma única doação de sangue pode salvar até 10 crianças?

Sabia que uma única doação de sangue pode salvar até 10 crianças?

Hoje falamos sobre doar sangue e a sua importância.

Ainda existem muitas pessoas que pensam que dói, que se vão doar sangue vão ficar com falta do mesmo, … Vamos tranquilizar.

Não dói. É o mesmo que ir tirar sangue para análises. Sentimos uma pequena picadela e depois só temos de relaxar. Em poucos minutos fazemos a nossa boa ação do dia e somos tratados como reis ou rainhas.

Ao chegarmos fazem-nos uma pequena triagem que consiste em formalizar a nossa doação (dados pessoais) e depois vamos medir tensões e o valor da hemoglobina. Se estiver tudo bem, passamos então à ação. Ao finalizar ainda temos direito a um pequeno lanche para recarregar baterias. Acreditem que saem de lá com o coração cheio!

 

Quem podemos ajudar?

Em cada doação (450 ml no máximo) podemos ajudar até 4 adultos ou até 10 crianças.

As doações são usadas para transfusões em cirurgias de grande porte, doenças crónicas, cancros e acidentes graves.

 

Ao doarmos os 450 ml de sangue apenas estamos a doar 10% da totalidade do mesmo no nosso corpo que por si só se renova.

 

Quem pode doar sangue?

- Pessoas entre os 16 e os 69 anos de idade com no mínimo 50kg (menores de idade terão de ter consentimento de um adulto responsável por si).

 

Quem não pode doar sangue?

- Pessoa com gripe e/ou febre;

- Mulheres grávidas, sendo que só podem duar sangue após 90 dias depois de parto normal ou 180 dias após cesariana;

-  Mulheres que amamentam;

- Pessoas que beberam álcool antes 12 horas;

- Pessoas que fizeram uma tatuagem ou um piercing há menos de 12 meses;

- Pessoas que efetuaram uma extração dentária;

- Pessoas que sofreram uma apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes antes 3 meses;

- Pessoas que sofreram uma Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia antes 6 meses;

- Pessoas que sofreram uma transfusão de sangue em menos de 12 Meses;

- Pessoas vacinadas recentemente e o tempo de espera para a transfusão varia de vacina para vacina;

- Pessoas que tenham realizado exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;

- Pessoa exposta a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis;

- Pessoa ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade;

- Existir evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue:  Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;

- Pessoa fazer uso de drogas ilícitas injetáveis;

- Pessoa ter sofrido de Malária.

 

O nosso Showroom termina esta semana. Visite-nos!

O nosso Showroom termina esta semana. Visite-nos!

Pois é. é já nesta semana que termina o nosso Showroom. Foram 3 meses que passaram a voar e onde conhecemos e fizemos novos clientes.

Continuaremos na Galeria até ao próximo dia 29 de Fevereiro onde vos podemos esclarecer todas as vossas dúvidas e vos dar também a conhecer a qualidade dos nossos artigos.

Se ainda não nos visitou, aproveite. 

Contundo, estaremos como sempre, disponíveis através da nossa loja online, redes sociais ou telemóvel.

Não se esqueça: Reutilize. Poupe com estilo!

 

Disponíveis em showroom até dia 29 de Fevereiro na Galeria Comercial Auchan da Maia e também na nossa loja online em www.reinopequenitos.pt .

Poderá ainda nos contactar via facebook, instagram ou através do número 910089079 .

 

Até breve!

 

Quando os adultos não dão o exemplo, nada podem exigir às crianças.

Quando os adultos não dão o exemplo, nada podem exigir às crianças.

Pois é. Nós os adultos temos a mania de passar a vida a exigir tudo e mais alguma coisa aos nossos pequenitos mas, dar o exemplo é como o povo nortenho diz,  “está queto(quieto)”!

Não é que hoje, enquanto estava na nossa loja física me deparo com uma mãe a comer pipocas com o filho e de repente, deixa cair pipocas ao chão. O pequenito muito aflito, para aí com uns 2 anos, a dizer à mãe para apanhar o lixo que fez e ela responde “não faz mal, vai ficar para os ratinhos”.

Ora que belo exemplo!!!

Aqui quem estava a dar o exemplo a quem?

Como podemos nós adultos exigir a uma criança que não atire o lixo ao chão, se “nós” o fazemos? Como poderemos nós exigir que a criança coma a sopa toda, os legumes e a fruta, se “nós” não comemos? Como podemos exigir seja o que for se não partir de nós, dar o exemplo?

Deixo-vos a pensar com os vossos botões.

Festejar o Dia dos Namorados com filhos? Claro que sim!

Festejar o Dia dos Namorados com filhos? Claro que sim!

Antes demais. Não se deixem levar só por datas. Os dias são o que quisermos fazer deles, todos os dias e isto aplica-se para o dia de São Valentim, Natal, Mãe, Pai ou até mesmo da Criança.

E é por aqui mesmo que temos de começar com uma explicação aos nossos pequenitos. Podemos celebrar sim, mas não tem de ser só naquele dia.

Quanto ao dia 14 de Fevereiro, onde tudo duplica o preço, deixem o dia de deixar os pequenitos nos avós para um outro dia que seja mais económico.

 

Deixamos algumas sugestões que poderão fazer em família e deixarem que os vossos pequenitos se tornem cúmplices no projecto:

-Jantar Romântico. Sim, é possível e falamos por experiência própria. No nosso Reino já o fazemos há uns tempos. Preparem uma ementa e um ambiente diferentes. Deixem que os pequenitos decorem a mesa. Uma boa conversa para o jantar é contarem como se conheceram os papás e a importância do sentimento AMOR;

- Elaborar uma prenda com os pequenitos. Seja um desenho, a trabalhos manuais ou apenas uma mensagem deixada no bolso do casaco;

- Levem os pequenitos a conhecer o local onde se conheceram.

 

Sejam felizes!

 

O preconceito de comprar roupa em 2ª mão é uma mentalidade que tem de ser mudada

O preconceito de comprar roupa em 2ª mão é uma mentalidade que tem de ser mudada

Cada vez mais, nos dias de hoje, as pessoas têm de entrar no espírito da reutilização.

É urgente! O nosso planeta está com o pulmão negro e quase a sufocar.

Reutilizar roupas entre crianças e até mesmo adultos, reciclar e dando uma nova vida com novos acessórios e personalizar ao nosso gosto, ou vender! Sim, vender.  É urgente!

Se há mentalidades que temos de mudar, é esta (uma delas). Urgente!

Quantos de nós compramos um carro usado? Quantos de nós compramos um apartamento usado? Muitos ou até mesmo a maioria de nós. Sabemos de facto o estado em que se encontram ou trazem apenas uma embalagem bonita?!

E Roupa? Não, mas porque não? Se é aquilo que podemos ver se está mesmo bom, se não tem defeitos escondidos!?

Para não falar das vantagens que são bastantes, vamos destacar as duas mais importantes: POUPANÇA e AMBIENTE.

Se está a ler este texto e ainda tem algum preconceito ou até mesmo receio de comprar roupa em 2ª mão, pense neste assunto.

O seu bolso o planeta o seu filho e todas as gerações futuras agradecem.

Reutilize. Poupe com estilo! (e fará toda a diferença)

 

As mães sofrem bullying no trabalho...

As mães sofrem bullying no trabalho...

Antes de serem mães são perfeitas! Insubstituíveis!!!

Fazem mais horas do que suposto, levam trabalho para casa, vão trabalhar nas férias, vão trabalhar aos fins de semana! Espetáculo! Portanto, insubstituíveis…

Até que, chega ao dia em que se tem que dizer à entidade patronal que: “estou grávida”!!

Começa a gerar-se uma bola de neve, ou não, depende de como corre a gravidez. Depois vem a licença, vamos lá engolir mais um sapo, até que chega o dia de regressar ao trabalho.

Primeira das muitas perguntas: “Mas tu amamentas?”. Digam lá se não é!?

Redução no horário eles até vão suportando, mas o pior do pior é mesmo quando toca o telefone e vem a primeira febre e tudo aquilo que acaba em “ite”.

Viramos de bestial a besta num piscar de olhos, nada do que fizemos anteriormente por aquela empresa conta.

“Mas não pode ficar com os avós?”, “Não pode antes faltar o pai?”, …

Resposta que nós mães adorávamos dar:  ”você o que faria?” ou “é mesmo bom ir para casa e não ganhar o que deveria ganhar” ou ainda “eu adoro ver o meu filho doente por isso hoje, antes de o deixar na escola disse para ele fazer de tudo para ficar com uma febrezita”…

Agora parece que já vai ser outra vez pago a 100% a baixa por assistência a filhos, mas isso são outros quinhentos que dava para estar aqui uma tarde a escrever, sim, porque apenas podem ficar 31 dias doentes num ano, se bem que quem tem mais que um filho é “fixe”, tem mais um dia por cada filho!  

Voltando ao anterior.

Mãe é mãe, e os filhos precisam dela. Ponto. Ponto. Ponto e ponto.

 

Claro está que existem muitas excepções e a elas aplaudimos e de pé!

Qual a idade certa para oferecer um telemóvel a uma criança?

Qual a idade certa para oferecer um telemóvel a uma criança?

Não existe idade certa para dar um telemóvel ao seu pequenito. Existe sim, a altura certa dependendo da autonomia que ele vai ganhando!

Primeiro de tudo, antes de oferecer um telemóvel ao seu pequenito lembre-se que existem vários perigos ligados. Explique o porquê de o oferecer e de todos os perigos que existem. O que deve ou não fazer.

Os telemóveis de hoje em dia não são como os nossos primeiros telemóveis. Usávamos para enviar mensagens, fazer chamadas e jogar ao jogo da cobra.

Hoje em dia têm acesso á internet, às redes sociais e a câmara fotográfica. PERIGO!!!

Por isso, se o seu pequenito não anda sozinho na rua e nem fica sozinho em casa, não vemos uma necessidade de ter um telemóvel. Sabe para que o vai usar? Para os perigos acima descritos e para deixar de conviver com os amigos e falar por mensagens e WhatsApp’s de 5 em 5 minutos, mesmo estando todos ao lado uns dos outros.

Existe também a “maldade infantil”! Sabemos que sim, mas se o seu pequenito estiver bem resolvido e esclarecido com a situação, acredite, não se vai deixar afetar com as comparações.

A importância do sono para o desenvolvimento do seu Pequenito

A importância do sono para o desenvolvimento do seu Pequenito

Hoje em dia, com os horários de trabalho que nós pais temos, mais a carga horária escolar dos nossos pequenitos, torna-se muito difícil conciliar o tempo de brincadeira, de cuidar e de dormir.

É uma luta contra o tempo e o querer fazer tudo num dia que apenas tem 24 horas, mas nessas 24 horas é muito importante que no mínimo os nossos pequenitos duram 8 horas.

O Sono existe para que o nosso cérebro possa descansar, sonhar e nos fornecer energia. Energia essa que é necessária para que os nossos pequenitos possam brincar e aprender da melhor forma. Se uma criança não dormir o suficiente, o cérebro fica tão cansado que ela vai ficar irritada, inquieta e sem tempo para que o cérebro desempenhe as suas funções que enquanto acordadas, não podem ser desempenhadas.

Por tanto é verdade a afirmação popular que tanto te se houve, “dormir faz crescer”.

 

Mas afinal, quantas horas os nossos pequenitos têm de dormir?

- 1 semana de idade: 8 horas por dia e 8h30 por noite;

- 4 semanas de idade: 6 a 7 horas por dia e 8 a 9 horas por noite;

- 3 meses de idade: 4 a 5 horas por dia e 10 a 11 horas por noite;

- 6 meses de idade: 3 horas por dia e 11 horas por noite;

- 12 meses de idade: 2h30 por dia e 11 horas por noite;

- 2 anos de idade: 1h30 por dia e 11h30 por noite;

- 3 anos de idade: 45 min. por dia e 11 a 12 horas por noite;

- 4 anos de idade: 11h30 por noite;

- Entre os 6 e os 9 anos de idade: 11 a 12 horas por noite;

-  Adolescentes: 9 horas por noite.

 

Como sempre explicamos, cada criança é uma criança e cada caso é um caso.

 

 

Como estimular a organização nas crianças

Como estimular a organização nas crianças

Organização e Planeamento é uma competência importante a desenvolver no nossos pequenitos. 

A capacidade de organização pode ser uma grande ajuda na vida presente e futuro das crianças. Na escola, ter capacidade de organização é essencial para gerir trabalhos de casa, projetos e agendas de estudo. 

Mas temos que entender que a necessidade de organização pode ser vista pelos nossos pequenitos como algo aborrecido, por esse motivo, é útil ensinar-lhes capacidades de organização começando pelos passa-tempos e atividades extra curriculares. Fomentar a organização dentro das coisas que gostam pode ajudar os pequenitos a interiorizarem bons hábitos que no futuro podem ser aplicados na escola, trabalho e na vida em geral.

Basta dar uma tarefa, como arrumar o quarto ou fazer os trabalhos de casa. Incentive a criança fazer um plano e a organizar-se antes de partir para a acção de qualquer tarefa. Arranje formas divertidas de o fazer, assim será mais fácil a criança aprender esta competência.

E claro, o exemplo que é dado pelos país no planeamento e organização das suas tarefas, é sem dúvida a melhor forma de passar a mensagem!

As crianças sabem o que significa verdadeiramente o Natal?

As crianças sabem o que significa verdadeiramente o Natal?

A maioria das crianças não sabem porque existe o Natal.

Natal é sinónimo de prendas e basta!!! (há, sabem que se come bacalhau).

Não estará na hora de não cedermos a que esta época nos trás? Consumismo, do mais puro que existe.

Tudo bem que normalmente o Natal é das e para as crianças, mas não deveríamos ensinar que é mais importante a família em volta da mesa, o amor, a partilha?!

Quem não se lembra de passar a noite de Natal a jogar Monopólio com os primos enquanto os adultos não saiam de torno da mesa e conversavam?

Estamos a proporcionar isso aos nossos pequenitos? Ou estamos simplesmente a entupi-los de brinquedos para tentarmos compensar o tempo que não conseguimos ter para eles!?

Marquem a diferença no vosso Natal. Brinquem com os vossos pequenitos e todos em família tornem este e todos os Natais seguintes, os melhores de sempre.

Criem boas memórias!

1 2 3 12 Seguinte →